sexta-feira, 29 de maio de 2015



 (Trecho extraído do capítulo XII do livro Introdução ao estudo dos Dogmas da Igreja Católica, de Sérgio Paulo Roberto, professor do Curso de Introdução aos Dogmas e Curso de Iniciação Bíblica)

Sabemos que os dogmas são vários e, ao mesmo tempo, um só, que é a Verdade, que é o Verbo de Deus. Todo dogma provém do Verbo, sendo dele manifestação.
Entretanto, para fins de ensino, estudo, catequese ou outras aplicações, é possível, e até necessário, “sistematizar” os Dogmas católicos, agrupando-os em categorias. Uma dessas sistematizações os distribui em oito divisões, conforme segue[1]:
http://loja.cursoscatolicos.com.br/DOGMAS·         Dogmas sobre Deus
·         Dogmas sobre Jesus Cristo
·         Dogmas sobre a Criação do Mundo
·         Dogmas sobre o Ser Humano 
·         Dogmas Marianos 
·         Dogmas sobre o Papa e a Igreja 
·         Dogmas sobre os Sacramentos 
·         Dogmas Escatológicos (ou sobre as últimas coisas)

Cada uma dessas categorias abrange vários dogmas, POR EXEMPLO:

Dogmas sobre Deus
·         Deus existe.
·         A existência de Deus é objeto de Fé.
·         Deus é Único.
·         Deus é Eterno.
·         A Santíssima Trindade é real.

Dogmas sobre Jesus Cristo
·         Jesus Cristo é verdadeiro Deus e filho de Deus por essência.
·         Jesus possui duas naturezas que não se transformam nem se misturam.
·         Cada uma das duas naturezas em Cristo possui uma própria vontade física e uma própria operação física.
·         Jesus Cristo é homem e, ao mesmo tempo, Filho natural de Deus.
·         Cristo imolou-se a si mesmo na cruz como verdadeiro e próprio sacrifício.
·         Cristo nos resgatou e reconciliou com Deus por meio do sacrifício de sua morte na cruz.
·         Após sua morte, ao terceiro dia, Cristo ressuscitou glorioso dentre os mortos.
·         Cristo subiu em corpo e alma aos céus, onde está à direita de Deus Pai.

Dogmas sobre a Criação do Mundo
·         Tudo o que existe foi criado por Deus a partir do Nada.
·         Caráter temporal do mundo.
·         Conservação do mundo.

Dogmas sobre o Ser Humano
·         O homem é formado por corpo material e alma espiritual.
·         O pecado de Adão se propaga a todos seus descendentes por geração, não por imitação.
·         O homem caído não pode redimir-se a si próprio.

Dogmas Marianos
·         A Imaculada Conceição de Maria.
·         Maria, Mãe de Deus.
·         A Assunção de Maria.
·         A Virgem.

Dogmas sobre o Papa e a Igreja
·         A Igreja foi fundada por Jesus Cristo.
·         Cristo constituiu o Pedro como primeiro entre os Apóstolos e como cabeça visível de toda Igreja, conferindo-lhe imediata e pessoalmente o primado de jurisdição.
·         O Papa possui o pleno e supremo poder de jurisdição sobre toda Igreja, não somente em coisas de fé e costumes, mas também na disciplina e governo da Igreja.
·         O Papa é infalível sempre que se pronuncia “ex cátedra”.
·         A Igreja é infalível quando faz definição em matéria de fé e costumes.

Dogmas sobre os Sacramentos
·         O Batismo é verdadeiro Sacramento instituído por Jesus Cristo.
·         A Confirmação é verdadeiro e próprio Sacramento.
·         A Igreja recebeu de Cristo o poder de perdoar os pecados cometidos após o Batismo.
·         A Confissão Sacramental dos pecados está prescrita por Direito Divino e é necessária para a salvação.
·         A Eucaristia é verdadeiro Sacramento instituído por Cristo.
·         Cristo está presente no sacramento do altar pela Transubstanciação de toda a substância do pão em seu corpo e toda substância do vinho em seu sangue.
·         A Unção dos enfermos é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo.
·         A Ordem é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo.
·         O Matrimônio é verdadeiro e próprio Sacramento.

 Dogmas sobre as Últimas Coisas (Escatologia)
·         A Morte e sua origem.
·         O Céu (Paraíso).
·         O Inferno.
·         O Purgatório.
·         O Fim do mundo e a Segunda Vinda de Cristo.
·         A Ressurreição dos Mortos no Último Dia.
·         O Juízo Particular.
·         O Juízo Universal.


Quantos são os Dogmas?


A lista que vimos acima - existem outras - apresenta 45 dogmas, mas, apesar de extensa, não é exaustiva. Existem outros dogmas, alguns decorrentes desses acima relacionados; outros, de desenvolvimento independente.
Por exemplo, o cânon bíblico, ou seja, a lista dos 73 livros que compõem a Bíblia católica, é dogmático, pois devemos crer, como verdade incontestável, que tais livros, e nenhum outro mais entre os conhecidos, foram inspirados por Deus e, portanto, são suas palavras.[2] Aliás, a inspiração divina da Bíblia e sua inerrância também são dogmas católicos.
Quando Deus diz, no quinto mandamento,[3] de forma imperativa e incondicional, “Não matarás!”, Ele eleva a vida humana à condição sagrada, pois teve origem na ação criadora de Deus e a Ele permanece intrinsecamente ligada. Só Deus é o dono da vida, o que leva o aborto, a eutanásia, o homicídio e até o suicídio à categoria de pecados, já que são atos contrários à vontade de Deus.
Ludwig Ott,[4] em sua magistral obra “Fundamentals of the Catholic Dogma”, apresenta nada menos do que 249 dogmas, listados no Apêndice deste livro. (livro Introdução ao estudo dos Dogmas da Igreja Católica)
Mas, se quisermos conhecer a relação completa dos dogmas, o local, por excelência, onde podemos encontrá-los, é o Catecismo da Igreja Católica, ainda que também lá não seja possível precisar-lhes o número, pois podem ser agrupados ou destacados conforme a intenção daquele que os lê, estuda ou escreve sobre eles.


[1] A divisão aqui exposta é a proposta por Dercio Antonio Paganini, disponível em vários sites já que, pela facilidade didática, é reproduzida em vários artigos católicos. Nossa fonte foi o excelente site “Duc in altum!”, cujo endereço eletrônico para a matéria, que nos subsidiará nas próximas páginas, é: http://www.duc-in-altum.com.br/Duc%20in%20altum!5a.htm
[2] O Concílio de Trento (1546-1543), realizado durante a “reforma” protestante, confirmou de forma dogmática as refutações às heresias de Lutero, inclusive o canon bíblico, do qual Lutero havia suprimido sete livros do Velho Testamento: Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc e os dois livros dos Macabeus (além de alguns trechos dos livros de Daniel e Ester).
[3] A lei moral (o Decálogo) mantém-se inalterada e incide sobre os cristãos - trata-se de Lei eterna, santa e perfeita (cf. Concílio de Trento).
[4] Ott, Ludwig. Fundamentals of Catholic Dogma. TAN Books, Charlotte, NorthCarolina. 1974

Inscreva-se: Curso de Introdução aos Dogmas da Igreja Católica

quinta-feira, 7 de maio de 2015

O mundo assistiu nos últimos dias aos acontecimentos da família real britânica que ganhou mais uma herdeira, Charlotte de Cambridge.
Destaca-se a alegria dos pais, da família, dos súditos e de todos os simpatizantes antes mesmo da chegada (parto) do bebê. No ventre da princesa, o bebê já é tratado como real.

E as famílias pobres? Não têm direito de ter bebês reais? Por que a pressão internacional pela legalização do aborto principalmente em países pobres? Por que fetos e embriões são tratados como câncer e não como vida?
O primeiro direito a ser enunciado é o direito à vida, desde o momento da sua concepção até ao seu fim natural, que condiciona o exercício de qualquer outro direito e comporta, em particular, a ilicitude de toda forma de aborto procurado e de eutanásia. (DSI, 155)
https://www.youtube.com/watch?v=UVG6gFN3SdcA campanha pró-aborto já dura algumas décadas, e podemos observar o quanto isso contribui para uma cultura contra a vida. Onde o aborto é legalizado é evidente que as demandas demoníacas são outras e as mais bizarras, pois já se perdeu o limite e a distinção da vida da pessoa humana.
No Brasil agora se discute a regulamentação do aborto até 12 semanas. Um bebê de 12 semanas, para se ter ideia, produz urina, responde ao toque, mexe os dedos e as pálpebras e seus neurônios estão em pleno desenvolvimento, embora tenha apenas cerca de 5,5cm.
http://brasil.babycenter.com/desenvolvimento-fetal-12-semanas-de-gravidez
Felizmente há ainda vozes sensatas lutando contra a cultura da morte. Veja no vídeo abaixo os dados estatísticos reais que destroem as falácias sobre as "vantagens" do aborto, apresentados na audiência pública no Senado em 5/5/2015.
Veja também a refutação a 7 argumentos pró-aborto no artigo Não existem argumentos para o aborto.


Related Posts