segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

O Curso de Introdução aos Dogmas procura explicar o que são, como surgiram, qual o significado e a finalidade dos Dogmas da Igreja Católica, mostrando a sua centralidade na Palavra de Deus.
Tem também como objetivos:

  • Ajudar o leigo a descobrir, nos dogmas, a presença criadora e redentora de Deus;
  • Compreender a fé em bases seguras e consistentes, dando sentido à vida;
  • Demonstrar que a vivência dos dogmas nos une nos dá a identidade de Católicos;
  • Demonstrar que nossa fé, hoje, é a mesma dos Apóstolos, a mesma que lhes foi transmitida por nosso Senhor Jesus Cristo, e deles a nós;
  • Motivar o participante a continuar a pesquisar e estudar os dogmas;
  • Permitir, ao fim, que cada um de nós possa proclamar, com o orgulho dos humildes: “Sou Católico, graças a Deus. Creio, entendo, pratico e ensino os dogmas de minha santa e amada Igreja”.
 Clique aqui para se inscrever. Inscrições até 30/12/2015 para a turma 2!

Conteúdos do curso:

  1. Conceitos preliminares fundamentais
  2. Os Padres da Igreja
  3. Primeiros contatos com os Dogmas
  4. Estudando os Dogmas
  5. Fatos e Mistérios da fé cristã
  6. Antes dos Dogmas
  7. O Símbolo da fé e as Escrituras
  8. O nascimento dos dogmas cristãos
  9. Heresias, "sementes de dogmas"
  10. Heresias (1ª parte)
  11. Heresias (2ª parte)
  12. Hipóteses, verdades de fé e dogmas
  13. O desenvolvimento do dogma
  14. A hierarquia dos dogmas
  15. Os Concílios da Igreja Católica
  16. Os Concílios Ecumênicos (1ª parte)
  17. Os Concílios Ecumênicos (2ª parte)
  18. Os Concílios Ecumênicos (3ª parte) 
  19. A autoridade da Igreja
  20. A Igreja anuncia a Verdade
  21. A Infalibilidade da Igreja
  22. Os dogmas da Igreja Católica (1ª parte)
  23. Os dogmas da Igreja Católica (2ª parte)
  24. Os dogmas da Igreja Católica (3ª parte)
  25. Os dogmas da Igreja Católica (4ª parte)
  26. Considerações finais e avaliações
 Clique aqui para se inscrever. Inscrições até 30/12/2015 para a turma 2!  
 
 Método e avaliação: O aluno poderá fazer um percurso gradativo e didático através do ambiente virtual (internet) em qualquer dia e horário, porém é desejável frequência de acesso e dedicação.
Serão 26 aulas, liberadas uma a cada semana, contendo uma videoaula mais material para download, além dos fóruns de discussão e dúvidas e exercícios.

http://loja.cursoscatolicos.com.br/DOGMAS

Serão 25 exercícios durante o curso;
• Todos os exercícios estarão disponíveis desde a abertura do Curso, mesmo antes da liberação das aulas correspondentes.
• Os exercícios poderão ser entregues durante o Curso, em qualquer data, mas todos terão que ser entregues até a data final do Curso.

Livro-texto: 

  • Introdução ao estudo dos Dogmas da Igreja Católica, de Sérgio Paulo Roberto, Ed. Martyria, 2015. 424 páginas. Veja em detalhes aqui.
  • Este livro está INCLUSO GRATUITAMENTE no curso online, em versão digital (pdf);
  • Disponibilizamos um Plano de Aulas com todas as referências e páginas do livro para melhor acompanhamento e aproveitamento;
  • Você terá opção de comprar o livro impresso com desconto, nas opções de inscrição abaixo.

Tipos de atividade disponíveis: 

• Videoaulas (gravadas, podem ser assistidas em qualquer dia e horário);
• Ebook (pdf) completo para download e apostilas de cada aula
• Fóruns (moderados e avaliados pelo tutor)
• Exercícios (avaliadas pelo tutor)
• Interação entre os participantes e o tutor.

 Clique aqui para se inscrever. Inscrições até 30/12/2015 para a turma 2! 

Certificado:
O participante será avaliado nas suas atividades, desenvolvimento e participação. Ao final do curso o participante que obtiver o aproveitamento mínimo de 70% receberá seu certificado de participação e conclusão (via email).

Carga horária: equivalente a 180h/aula
Duração: 6 meses


 Clique aqui para se inscrever. Inscrições até 30/12/2015 para a turma 2!


  • Se você JÁ TEM o livro impresso, solicite desconto de 20% no curso online, pelo email: contato@martyria.com.br
  • Após confirmarmos o pagamento, aguarde até 48h o email com as instruções de acesso ao curso online. Importante: Verifique sua caixa de spam (lixo eletrônico, "em massa" ou quarentena).
  • O prazo de entrega do livro impresso via Correios é de 7 a 25 dias, conforme a região do país. 
  • Para comprar somente o livro (R$55,00), clique aqui.


Professor: Sérgio Paulo Roberto, casado, pai de dois filhos, católico, formado em Administração, com especializações em Logística e em Comércio Exterior, e em Direito, com especialização em Direito Empresarial. Catequista, estudioso autodidata de temas ligados à religião e à Igreja Católica. Carioca, residindo atualmente em Brasília. Tutor do Curso de Iniciação Bíblica e autor do livro Introdução ao estudo dos Dogmas da Igreja Católica.

 Dúvidas? Escreva para diretor@cursoscatolicos.com.br   

 Clique aqui para se inscrever. Inscrições até 30/12/2015 para a turma 2! 

terça-feira, 8 de setembro de 2015

A mídia laica e pagã, essa grande besta, em todos os sentidos, continua querendo se aproveitar das palavras do Papa Francisco. Veja estas manchetes, pretensamente sobre a doutrina sobre o aborto:
Primeiramente, perdão é diferente de absolvição. Esta diz respeito ao sacramento da confissão; aquela, à reconciliação com Deus. Então, quem perdoa é Deus, diretamente, assim que o pecador se arrepende. Mas quem absolve é o juiz, no caso, um sacerdote, que comunica o perdão ao penitente, ao mesmo tempo que dá o remédio para que evite pecar novamente.
Está claro, então, que nem o Papa pode "perdoar as mulheres que fizeram aborto", a não ser que as atenda em confissão particular, uma a uma, e que elas manifestem aquilo que é necessário para o perdão de qualquer pecado: o arrependimento.

O aborto entra nesta história por causa de sua pena: a excomunhão automática. Certos pecados têm uma censura maior por parte da Igreja, pois ferem gravemente a unidade da mesma e/ou a comunhão daquele pecador com Deus e sua Igreja. O aborto é mais do que um assassinato, pois é contra a mais inocente pessoa, sem nenhuma chance de defesa, é premeditado, é desejado de antemão pelas pessoas que têm obrigação de defender aquela pequena pessoa. Quem pratica ou colabora com o aborto está se autoexcluindo da Igreja. Para voltar à comunhão, precisa arrepender-se e reconciliar-se com a mesma Igreja.
A excomunhão só pode ser retirada pela autoridade da Igreja: o bispo, e em alguns casos, somente o Papa. O aborto entra no caso em que o bispo pode absolver. O que o Papa Francisco concedeu, somente no Ano da Misericórdia (dezembro/2015 a dezembro/2016), para "todos os sacerdotes, neste Ano Jubilar, não obstante qualquer questão contrária, a faculdade de absolver do pecado do aborto aqueles que o praticaram e arrependidos de coração pedem, por isso, perdão".

O texto da carta pode ser lido aqui: http://press.vatican.va/content/salastampa/pt/bollettino/pubblico/2015/09/01/0637/01386.html#port

***
Cursos online: Teologia, Doutrina Social da Igreja, Catecismo, Dogmas e muito mais:
www.cursoscatolicos.com.br






Depois da mídia pagã passar vergonha dizendo que "Papa reconhece separação", agora dizem que o Papa tornou a "anulação de casamento" mais fácil e gratuita.
É uma meia-verdade, mas não é ingênua por parte desses jornalistas. O termo "anulação" nunca foi, nem será, usado pela Igreja, nem pelo Papa, porque induz ao erro maquiavélico de pensar que um casamento pode acabar pela simples vontade do casal ou de qualquer pessoa. É isso que querem, implantando esse termo no vocabulário cotidiano ao tratar do matrimônio católico - a última barreira a vencer para a desestabilização completa da instituição família.



Conforme explicamos neste artigo, "Não há, em hipótese alguma, "anulação" de casamento religioso. Um casamento válido só é desfeito pela morte. É um erro de terminologia que pode levar a erro de conceitos.
Há, porém, o reconhecimento da nulidade de uma celebração matrimonial, que significa que o casamento não ocorreu, por um erro no momento do consentimento (nunca por um erro posterior), mesmo que tenha sido descoberto tempos depois de casados."


Pois bem, o que o Papa fez, através do motu proprio MITIS IUDEX DOMINUS IESUSfoi pedir a simplificação do processo nos requerimentos de nulidade. É bom lembrar - e o papa deixa isso claro - que o processo tem por finalidade investigar e declarar se o matrimônio em questão é válido ou não. Nem todo processo tem que declarar a nulidade. Às vezes ele declara a validade. Com uma maior agilidade no processo, o casal não ficará mais com uma dúvida por anos (a forma atual do processo geralmente leva bem mais que um ano).



Essa simplificação e maior agilidade se dará principalmente tornando o bispo local o único juiz. Antes, era necessária uma segunda decisão confirmatória, que se fazia por meio de um outro tribunal. E quando as duas decisões eram contrárias, o processo seguia para a Rota Romana, prolongando ainda mais o processo. Agora, basta a decisão do bispo (ou juiz) local, restando ainda a possibilidade de se recorrer da decisão a um tribunal superior (provincial) ou mesmo à Rota Romana.
Também o papa pediu que os processos se tornem gratuitos, quando possível. Isso já era previsto no Código de Direito Canônico, quando se observa que as partes não têm condição de arcar com as despesas. Agora, ao que pareça, a gratuidade será bastante estendida.


Homem e Mulher os criou

“Homem e Mulher os criou” Noivos e esposos ante o matrimônio e a sexualidade 
Modernos ataques contra a família e o noivado católico

“Modernos ataques contra a família e o noivado católico” A família, nestes tempos modernos, sofre..
O Sacramento do Matrimônio: sinal da união entre Cristo e a Igreja

Related Posts