sábado, 19 de julho de 2014


Depois de nossas Orientações para as Eleições segundo os critérios da Doutrina Social da Igreja (DSI), cumprimos o prometido e oferecemos um comparativo e análise das propostas de 6 candidatos à Presidência da República nas eleições de 2014.


 Observações preliminares:

  1. Essa análise foi feita por leigos católicos, por livre iniciativa, sem qualquer vínculo com partidos ou organizações políticas.
  2. Não representa uma opinião oficial da Igreja Católica e não foi por Ela encomendada. A Doutrina Social da Igreja não apresenta programas de governo e não tem candidatos oficiais, e os clérigos estão proibidos pelo Direito Canônico de tomar parte ativa na política partidária (c. 287 §2). Por isto, nós leigos tomamos a peito fazer este trabalho.
  3. Os dados das propostas foram todos tirados de fontes oficiais e verificáveis pelos links indicados.
  4. As avaliações das propostas segundo os critérios da DSI são todas coerentes com as já referidas Orientações e com o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, salvo qualquer equívoco nosso na análise dos dados, cuja indicação de correção será bem-vinda.

Análise das propostas


Fizemos a listagem das propostas concretas apresentados pelos candidatos, de acordo com o divulgado oficialmente pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Como cada candidato/partido formatou suas propostas de maneiras diferentes, tentamos agrupar as propostas segundo temas: Diretrizes gerais, Assistência e políticas sociais, Noções de direitos humanos, Noções de Governo, Estado e democracia, Saúde, Cultura, Segurança, Infraestrutura, Educação, Meio ambiente e Economia. Na tabela comparativa mantivemos essa estrutura, mas nas análises individuais das propostas agrupamos os temas tentando conciliar o formato apresentado pelo candidato.
Nossa avaliação está indicada por um sistema de cores: em vermelho o que é contra a DSI e em verde o que está de acordo com a DSI. Em amarelo, pontos que merecem atenção. O que não está marcado são questões discutíveis ou técnicas, propostas genéricas, óbvias ou que não cabe esta avaliação.
O que estiver em itálico é comentário nosso, bem como as notas no rodapé. O restante é das fontes citadas no documento.

Índice DSI


Criamos um índice ou sistema de notas para atribuir uma nota geral ao candidato comparando e confrontando suas propostas à Doutrina Social da Igreja. As notas atribuídas levam em conta nossa percepção sobre as propostas de acordo com as fontes citadas e não pretendem ter rigor científico.
Foram atribuídas notas -1 (ruim), 0 (neutro/regular) ou +1 (bom) a cada um dos itens de avaliação (histórico, defesa da vida e da pessoa, defesa família, liberdade educação, solidariedade/social, descentralização, livre iniciativa, liberdade expressão, liberdade religiosa, propriedade privada, opção pelos pobres, noções de direitos humanos). O partido também recebe avaliação, que ao final compõe a nota final pela soma entre a nota do candidato e a do partido. Os detalhes da composição das notas obtidas estão nos documentos a seguir.

Os candidatos

Analisamos as propostas de 6 candidatos: 
  • os 3 apresentados pelas pesquisas com maior intenção de votos: Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB),
  • mais outros 3 que tem propostas mais coerentes com a Doutrina Social da Igreja: Everaldo Pereira (PSC), José Maria Eymael (PSDC) e Levy Fidélix (PRTB).
Não incluímos as propostas dos candidatos do PV, PSTU, PSOL e PCB porque apresentam grande divergência com a Doutrina Social da Igreja (os motivos são os mesmos apresentados na análises dos três primeiros candidatos), além de terem intenção de voto irrisória (o que nos poupa o trabalho).

Comparativo e análises

Os arquivos estão em formato pdf. Clique para visualizar ou baixar.

Análises individuais completas: 

Clique no link para visualizar ou baixar.



 Notas (índice DSI):

Para detalhes, não deixe de ver os documentos acima.
Candidato / Vice / Coligação
Link p/ análise da proposta
Nota (índice DSI) do Candidato
Nota (índice DSI) do Partido
Nota final:
Dilma Rouseff – PT
Michel Temer – PMDB
PT, PMDB, PDT, PCdoB, PP, PR, PSD, PROS, PRB
-21
-10
-31
Aécio Neves – PSDB
Aloysio Nunes – PSDB
PMN, SD, DEM, PEN, PTN, PTB, PTC, PTdoB
3
-2
1
Eduardo Campos – PSB
Marina Silva – PSB
PHS, PRP, PPS, PPL, PSB, PSL
-12
-22
-34
Everaldo – PSC
Leonardo Gadelha - PSC
51
38
89
José Maria Eymael – PSDC
Belsasar Roberto Lopes – PSDC
48
34
82
Levy Fidélix – PRTB
José Alves de Oliveira - PRTB
57
18
75
  

Atualização (21/08/2014):
  1. Com a morte do candidato Eduardo Campos, julgamos a análise continua a mesma com a candidata Marina Silva, pois o programa não mudou.
  2. Para orientar a decisão de voto, leia também:

Categoria: ,

4 comentários :

  1. Como pode um liberal economico como Pastor Everaldo ter pontuação alta numa avaliação destas ? O resto não me é surpresa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É justamente por ser um liberalismo econômico, e não moral. Veja esse artigo: http://martyriaeditora.blogspot.com.br/2014/07/a-igreja-e-os-sistemas-economicos.html

      Excluir
  2. Impressionante! Parece que não temos como escapar de um possível "Comunismo" no Brasil. Se não for pela "força" (Dilma, Lula e os seus), será pela "mãe natureza" (Marina, Leonardo Boff e os seus). Pois os que tem melhores propostas estão muito longe de alcançar. É... parece que o aviso de Nossa Senhora em Pesqueira/PE está prestes a acontecer! Possamos suplicar a Deus que nos conceda muita força e proteção, pois vamos precisar com certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, Eloi! Como é praticamente inevitável, só nos resta começar desde já, pelo voto, uma verdadeira oposição, não oposição virtual como são os três citados.

      Excluir

Related Posts