terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Curso de Iniciação Teológica pretende dar uma visão geral dos tratados da Teologia, fornecendo ao aluno subsídios para posterior aprofundamento. Além da visão geral, serão apresentados os pontos fundamentais de cada tratado, segundo as grandes fontes da Teologia católica: as Sagradas Escrituras, a Sagrada Tradição e o Magistério da Igreja.

Neste curso, serão apresentados os seguintes tratados: Teologia Fundamental, Introdução às Sagradas Escrituras, Deus Uno e Trino, Antropologia Teológica (criação, pecado, graça), Cristologia, Eclesiologia, História do Cristianismo, Sacramentologia, Teologia Moral,
Escatologia.
Um professor acompanhará os alunos nas suas atividades e dúvidas.

Duração: 6 meses
Nova turma a cada 3 meses.
Clique aqui para se inscrever

História em quadrinhos bem humorada sobre Santo Tomás de Aquino, incluindo as famosas cinco vias para provar a existência de Deus, tirada da revista Action Philosophers.

Original em inglês extraído do site: http://sumateologica.wordpress.com/2012/05/30/tomas-em-quadrinhos/

Tradução livre e adaptação: Márcio Carvalho (acaminhoteologia.blogspot.com)
(visualize melhor em tela cheia: clique no canto inferior direito do slide)

sábado, 25 de janeiro de 2014

No dia 25 de janeiro se celebra a festa da Conversão de São Paulo. Como o Domingo é o principal dia de festa do cristão, este ano é celebrado o 3º Domingo do Tempo Comum, conforme as Normas Universais para o Ano Litúrgico e o Calendário.
Por ocasião no Ano Paulino (28 de junho de 2008 a 29 de junho de 2009, dois mil anos do nascimento do Apóstolo Paulo), a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos (órgão do Vaticano responsável pela liturgia católica) concedeu por meio de decreto, de maneira extraordinária, que no dia 25 de Janeiro de 2009 se possa celebrar em cada igreja uma Missa segundo o formulário Conversão de São Paulo Apóstolo, como está no Missal Romano.
Mais do que conhecer a figura de Paulo, sua vida e personalidade, o Ano Paulino proposto pelo Papa chama a aprender daquele a quem São Paulo amava a ponto de suportar tudo: o Cristo. Em suas cartas, ele luta veementemente contra quem o queira colocar acima de Cristo: “Então estaria Cristo dividido? É Paulo quem foi crucificado por vós? É em nome de Paulo que fostes batizados?” (1 Cor 1, 13).
E quem é que Paulo aponta? Por ocasião de sua conversão, o então Saulo pergunta: “Quem és, Senhor?”, e recebe como resposta: “Eu sou Jesus, a quem tu persegues” (Atos 9, 4s). Ora, Jesus já havia morrido, ressuscitado e subido ao céu. Saulo não perseguia a Jesus de Nazaré, mas a Igreja, os cristãos. Jesus ressuscitado se identifica com a Igreja.
Esse acontecimento que mudou a vida de Saulo, um encontro pessoal com o Ressuscitado, está no fundo da doutrina sobre a Igreja como Corpo de Cristo. A Igreja não é mera associação de pessoas ou uma “luta por uma causa”, mas uma Pessoa. Paulo, a semelhança de Jesus que esteve três dias morto para ressuscitar, esteve três dias sem poder ver, estar em pé, comer; depois no momento do batismo, de sua aceitação da Igreja, seus olhos voltaram a abrir-se, pôde comer e retomou as forças, voltou à vida (cf. Atos 9, 18). Depois do seu batismo, relativizou tudo quanto havia vivido sem ser para Cristo. “Mas tudo isso, que para mim eram vantagens, considerei perda por Cristo. Na verdade, julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor. Por ele tudo desprezei e tenho em conta de esterco, a fim de ganhar Cristo” (Filipenses 3, 7-8). E não era de uma vida devassa que Paulo falava, mas de uma vida irrepreensível: “Se há quem julgue ter motivos humanos para se gloriar, maiores os possuo eu: circuncidado ao oitavo dia, da raça de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu e filho de hebreus. Quanto à lei, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da Igreja; quanto à justiça legal, declaradamente irrepreensível” (Filipenses 3, 4-6).
Paulo havia acreditado que a prática escrupulosa da lei o faria justo diante de Deus. Seu encontro com Jesus Ressuscitado o fez perceber que a salvação vem de Deus. Cabe ao homem “converter-se”, isto é, crer e acolher, na fé, a oferta de Deus e viver, a seguir, suas exigências, fortalecidos no Corpo de Cristo, que nos assimila a Si em cada Eucaristia.

sábado, 11 de janeiro de 2014


Clique aqui para ver na loja

***
“Homem e Mulher os criou”
Noivos e esposos ante o matrimônio e a sexualidade
HOMEM E MULHER OS CRIOU é um livro  para os que se preparam para o matrimônio e para aqueles que, já casados, aspiram a formar uma família autenticamente cristã. Inclui, por isso, os temas essenciais que devem enfrentar os noivos, cônjuges de longa vida matrimonial e recém-casados: o noivado, o amor matrimonial, as dificuldades matrimoniais, a provocação da droga e da pornografia que ameaça aos filhos, a educação das virtudes e a educação sexual dos filhos, a regulação da natalidade, as virtudes conjugais, a vida sacramental e a oração em família, etc. São todas questões fundamentais para o futuro da mesma humanidade, pois, como disse o beato João Paulo II: «A causa da família é a causa mesma do homem e da civilização» (Audiência Geral de 8 de outubro de 1997).
Este livro tem sido editado na Argentina, Peru e Equador. Possui sete edições em língua espanhola, uma em língua inglesa e esta em português.
Para comprar, CLIQUE AQUI.
(FUENTES, Pe. Dr. Miguel Ángel. Homem e Mulher os criou: noivos e esposos ante o matrimônio e a sexualidade. 9 ed. Nova York: IVE Press, 2008. 160p. 14x21cm.)

 ***

O Sacramento do Matrimônio
sinal da união entre Cristo e a Igreja 
A análise de alguns textos das Sagradas Escrituras e do Magistério da Igreja mostra que o matrimônio aponta para a relação de Deus para com seu povo e, ainda mais, entre Cristo e a Igreja.
No Antigo Testamento, Deus é sempre fiel ao povo que escolheu, apesar das infidelidades. No Novo Testamento, o amor de Jesus é a doação total, até a morte. Essa relação de amor entre Deus e os homens é comparada ao matrimônio uno e indissolúvel.
Na Igreja, o matrimônio é elevado a sacramento porque sinaliza e realiza a mesma relação de amor existente entre Cristo e a Igreja. Cristo nutre e sustenta a Igreja, que gera filhos para Deus. O
amor entre o casal cristão também deve ser total doação e abertura ao outro.
A Igreja pretende que os casais sejam bem preparados a viver esta realidade, através de boa catequese desde a infância e de frutuosa e consciente celebração do matrimônio.
110 p. O autor: Márcio Carvalho é teólogo, editor e professor.
 Para comprar, CLIQUE AQUI.
 ***

“Modernos ataques contra a família e o noivado católico”
A família, nestes tempos modernos, sofreu como nenhuma outra instituição, o ataque das transformações da sociedade e da cultura. Algumas permaneceram fiéis aos valores que fundamentam a família; outras se deixaram ganhar pela incerteza e o desânimo; outras caminham na dúvida e na ignorância de sua natureza e missão. A missão da Igreja, Mãe não só dos indivíduos, mas também das famílias cristãs, a uns deve sustentar, a outros iluminar e a outros ajudar em seu caminho de provas por este mundo, para conduzi-los à luz da Vida Eterna.
Este volume reúne dois artigos do autor.
O primeiro intitulado «Modernos ataques contra a família», publicado primeiro na Revista Mikael, no ano 1975 e seguidamente em uma separata da mesma Editorial, esgotado, reeditado e voltado a esgotar; o que mostra às claras a grande aceitação e uso por parte das famílias argentinas. A 20 anos de distância, seu valor não se empanou; pelo contrário, hoje mais que nunca o matrimônio e a família precisam se conhecer para poder cumprir sua missão no mundo; precisa conhecer sua essência, seus fins, suas prerrogativas, seus dons e os inimigos a ameaçam talvez como nunca na história dos homens.
O segundo artigo, titulado «O noivado católico», apareceu na Revista Diálogo completando o tema anterior com as agudas reflexões do Autor sobre a importante etapa que prepara para o matrimônio e que, em muitos casos, decide definitivamente o futuro do matrimônio. Nessas páginas o Padre Buela valeu-se de grande parte de sua experiência pastoral com jovens noivos, a muitos dos quais acompanhou em sua preparação para o Sacramento do Matrimônio. Neste escrito eles poderão encontrar as linhas seguras de uma moralidade e espiritualidade do noivado baseados no amor a Cristo e à Igreja e na grandeza do dom ao que é preparação.
Em união com o Santo Padre, o beato João Paulo II, em seu II Encontro com as Famílias no Rio do Janeiro, também nós reconhecemos que “a salvação da pessoa e da sociedade humana e cristã está estreitamente ligada à prosperidade da comunidade conjugal e familiar”.
Para comprar, CLIQUE AQUI.
(BUELA, Pe. Carlos Miguel. Modernos ataques contra a família e o noivado católico. Nova York: IVE Press, 2010. 87p. 14x21cm)
Related Posts